Exposições

O Espaço Cultural da União de Freguesias de Souselas e Botão é um “lugar” para congregar cultura. Um Espaço que desempenha uma função ativa, fomentando as expressões artísticas de e para a Comunidade.

Com um Programa que pretende ser diversificado o Espaço Cultural pretende oferecer Teatro, Música, Serviço Pedagógico, Exposições, Dança, etc. Tudo isto aliado a um forte estímulo para atividades de cariz tradicional.

2018

Exposição de Ilustração de António Rocha __ 27/10/2018 a 01/12/2018

TÍTULO DA EXPOSIÇÃO: EXPOSIÇÃO DE ILUSTRAÇÃO DE ANTÓNIO ROCHA __ 27/10/2018 a 01/12/2018

SOBRE O AUTOR:
“Nasceu no pós-revolução, cedo se deixou levar pelas asas da imaginação no formato de pequenos livros de bolso e revistas de Banda Desenhada. Disney, Westerns, Super-heróis, Asterix e Lucky Luke compunham a dieta inicial, mas um pouco mais tarde o cardápio alargou-se para abranger de tudo um pouco.

​A formação em Design iniciada em 96 na ARCA-ESAC, em Coimbra, foi consequência de querer estudar ilustração, porque fazia parte do programa do curso. Hoje, é designer de profissão, mas a Banda Desenhada, essa, é pura paixão.”


Exposição de Fotografia de Ana Botelho e Raúl Salas González __ 01/09/2018 a 13/10/2018

TÍTULO DA EXPOSIÇÃO: EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA DE ANA BOTELHO E RAÚL SALAS GONZÁLEZ __ 01.09.2018 a 13.10.2018

SOBRE A EXPOSIÇÃO:
O Imaginário Japonês
“…da luz que há na sombra” Junichiro Tanizaqui
Esta exposição surge a partir dos projetos fotográficos de Ana Botelho e Raúl Salas desenvolvidos durante o ano de 2017, na Escola Informal de Fotografia coordenada por Susana Paiva. O tema central é o significado estético da sombra na cultura japonesa, baseado no livro de Tanizaki, “Elogio da sombra”, os trabalhos refletem sobre este tema, tal como refere o autor: “nossos antepassados obrigados a viver em divisões escuras, descobriram um dia o belo no meio da sombra” ou “do rosto das mulheres às salas dos templos, o essencial esta na sombra e nos seus efeitos”.

—- A Sombra do Silêncio
Ana Botelho

Não há ligações fixas, não há ligações eletivas, não há ligações boas e más – há as ligações que queremos, que imaginamos ou simplesmente supomos.
Com estas imagens promovo ligações raras, improváveis, que surpreendem, entre a obra artística e o jardim.
Estes elementos, livres, que assumem ligações espontâneas, não eternas que se podem dissolver a qualquer momento, a proposta é transformar essa ligação, não esclarecendo, mas confundindo dando possibilidades de renovadas visões na capacidade de observar, sem hierarquias ou protagonismos.
Sem obsessões pretende-se construir, através de dípticos, uma associação de fenómenos do diálogo travado: fixar o olhar, decidir os elementos que se combinam, criar uma teoria particular, um aproximar envolvente entre os dois objetos (o jardim e a obra de arte) e fixá-lo.

SOBRE A AUTORA (Ana Botelho):
Vila Real foi a minha primeira cidade.
Cresci em Coimbra.
Aqui vivo e trabalho.
Participei em exposições coletivas nacionais, em 2014 “LabX – Laboratório Experimental de Fotografia”, Marionet/EIF, com o grupo Pescadas nº5 desde 2015, no Projeto Transgredir 2017, e com o GIF. Grupo Informal de Fotografia em 2018, e internacionais, em 2015 no Insea Project | Culturgest.
A fotografia é uma companhia e com ela construo memórias e devaneios.

—-Sombras Líquidas
Raúl Salas González

Este projeto deseja falar sobre a ocultação e revelação, deseja falar sobre a sombra, que é um “jogo de claro-escuro”. Tal como refere Tanizaki: “A luz, se impõe, a escuridão, alberga. A beleza não é uma substância em si, mas um jogo de claro-escuro produzido pela justaposição de diversas substâncias que formam as sutis modulações do jogo de sombra. Aquilo que chamamos belo não é normalmente mais que uma sublimação das realidades da vida, e foi assim que os nossos antepassados, obrigados a viver quer quiserem quer não em divisões escuras, descobriram um dia o belo no meio da sombra, e depressa a utilizaram para obter efeitos estéticos”.

SOBRE O AUTOR (Raúl Salas González):
Nascido na Cidade do México, A partir do ano 2014 integrou o grupo de Coimbra da Escola Informal de Fotografia, cuja orientação está a cargo da fotógrafa Susana Paiva, produzindo os seguintes projetos: A donde van (2014); Espaços vazios e ilhas (2015); Utopia na cidade (2016); Sombras líquidas (2017). Estes projetos têm sido desenvolvidos em torno do território abordado de uma forma diversa em que a memória e a imaginação são pilares fundamentais, evocando questões atuais e históricas das nossas sociedades, assim como também a clara relação ou vínculo com o ambiente em que se desenvolvem.


Exposição de Fotografia “Memória e Paisagem” de Cátia Biscaia __ 09/06/2018 a 29/07/2018

TÍTULO DA EXPOSIÇÃO: EXPOSIÇÃO DE “MEMÓRIA E PAISAGEM” DE CÁTIA BISCAIA __ 13.04.2018 a 02.06.2018

MEMÓRIA E PAISAGEM
Fotografia de Cátia Biscaia

FOTOGRAFIA ANALÓGICA:
35mm – Leica M2 (1957-1968), do acervo museológico do M|i|mo – Museu da Imagem em Movimento (Leiria)
120mm – Flexaret V (1958), câmara pessoal.

SINOPSE:
A cidade não é apenas um espaço físico, ou um lugar onde se está e permanece. A cidade é um centro de um tempo onde se fabricam identidades próprias; uma moldura de vida à procura de um retrato.

Com base neste pressuposto, resolvo estudar a minha própria cidade: Leiria.

Não as suas pessoas, mas aquilo que as envolve: os muros e as cercas que as protegem; os edifícios que são nada mais que «refúgios seguros» que vivem com elas e elas dentro deles, todos os dias, muitas vezes sem lhes dar conta da sua existência, beleza, estética e harmonia.

Estas estruturas, que compõem a urbe, erguem-se do chão e comunicam força, proteção ou honestidade, criando uma relação quase invisível entre si e com o ambiente, transformando-se num espelho de quem as habita.

Através deste projeto fotográfico tento trazer estes edificados de betão enquanto objetos artísticos, re-imaginando-os, através de uma estética estrutural e/ou minimalista, com o objetivo de devolver a cidade a quem a habita e de oferecer um novo olhar sobre a mesma.

FOTOGRAFIA E EDIÇÃO: Cátia Biscaia
REVELAÇÃO: Jorge Ferreira
DIGITALIZAÇÃO: Bruno Carnide
PRODUÇÃO: Cátia Biscaia, Bruno Carnide e M|i|mo – Museu da Imagem em Movimento

BIO:
Cátia Biscaia (1983, Leiria, Portugal) é licenciada em Comunicação Social e pós-graduada em Audiovisual e Multimédia. Fotógrafa profissional – premiada nacional e internacionalmente – trabalha, também, nas áreas da Comunicação e Cinema (enquanto produtora e assistente de imagem). É, ainda, co-fundadora e directora do Leiria Film Fest – Festival Internacional de Curtas Metragens, desde 2013.


Exposição de Desenho “Os meus Olhares” de Jorge Rocha __ 13.04.2018 a 02.06.2018

TÍTULO DA EXPOSIÇÃO: EXPOSIÇÃO DE DESENHO “OS MEUS OLHARES” DE JORGE ROCHA __ 13.04.2018 a 02.06.2018

SOBRE A OBRA:

Estes trabalhos têm como ponto de partida o desenho, com diferentes técnicas, formas e temáticas.
O autor, Jorge Rocha, considera o desenho como uma forma de representação artística muito importante e que é muitas vezes negligenciada ou mesmo ignorada, o que no seu entendimento é um erro.

SOBRE O AUTOR:

Jorge Manuel Batanete Rocha, 45 anos, casado e pai de dois filhos.
É natural de Coimbra e viveu em Souselas até aos 17 anos.
Licenciado em Pintura na ARCA-EUAC (Escola Universitária das Artes de Coimbra) no ano de 1998.
Começou a vida profissional em 1999 como docente do ensino básico e secundário, que mantém até aos dias de hoje.


Exposição de Fotografia “Macrocosmos” de João Santos __ 24/02/2018 a 08/04/2018

TÍTULO DA EXPOSIÇÃO: EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA “MACROCOSMOS” DE JOÃO SANTOS __ 24/02/2018 a 08/04/2018

SOBRE O AUTOR:
João Santos, naturalista por formação e convicção, nasceu a 28 de Março de 1961, na cidade da Covilhã. Durante a infância e juventude privou com o ambiente científico do museu de História Natural da Universidade de Coimbra, tendo através dessa vivência intensa adquirido competências na área do ambiente e pensamento conservacionista.
Adquiriu a sua primeira máquina fotográfica reflex em 1979, utilizando a fotografia como meio de comunicação, a natureza e vida selvagem como tema, promoveu actividades de educação ambiental, integrou movimentos cívicos e conservacionistas, alertando para a importância e protecção da biodiversidade e dos biótopos.
Após um interregno, em 2010 retomou a sua paixão pela fotografia da natureza, sempre com o objectivo de através da sua visão do mundo natural, promover e sensibilizar para a importância da preservação da natureza, das espécies e dos locais por elas povoados.


Exposição de Maria do Céu Quadros e de Américo Quadros __ 07/01/2018 a 27/01/2018

TÍTULO DA EXPOSIÇÃO: EXPOSIÇÃO DE MARIA DO CÉU QUADROS E AMÉRICO QUADROS __ 07/01/2018 a 27/01/2018

Exposição de Maria do Céu Quadros (trabalhos a óleo)
e de Américo Quadros (trabalhos a carvão).

2017

Exposição Colectiva de Natal  __ 16/12/2017 a 06/01/2018

TÍTULO DA EXPOSIÇÃO: EXPOSIÇÃO COLETIVA DE NATAL __ 16/12/2017 a 06/01/2018

ARTISTAS PATENTES:
Belisário
Vina Macedo
Patrícia Roque
Ninita Azevedo
Grupo de alunos do Espaço Cultural da UFSB

[Decorreu em simultâneo o Mercado Feliz | Espaço Cultural da UFSB e a mostra do Presépio de Natal no mesmo local.]


Exposição de Pintura e Artesanato de Vina Macedo __ 18/11/2017 a 09/12/2017

TÍTULO DA EXPOSIÇÃO | EXPOSIÇÃO DE PINTURA E ARTESANATO DE VINA MACEDO __ 18.11.2017 a 09.12.2017

AUTORA:

VINA MACEDO


Exposição “Cartunes Sec. XXI” de Belisário __ 14/10/2017 a 04/11/2017

TÍTULO DA EXPOSIÇÃO | EXPOSIÇÃO “CARTUNES SEC. XXI” DE BELISÁRIO __ 16.09.2017 a 30.09.2017

DESCRIÇÃO

SOBRE O AUTOR:

Nome : Joaquim Belisário da Cruz Borges – Coimbra, 1948

Percurso artístico:
Anos 60:
– Expõe os primeiros desenhos nos “Jornais de Parede” do liceu D. João III, no âmbito das atividades da mocidade portuguesa.
– Muito jovem ainda, obtém um prémio nacional “Fósforo Ferrero” na página juvenil do “Século Ilustrado”.
Colabora ainda com “Os Ridículos”, “O Póney”, “Flama”, J.N., entre outros e na revista “Capa e Batina” em publicidade, pequenos artigos cartunes, vinhetas e ilustrações, publicação de estudantes muito lida pela população de Coimbra.
Produz nesta altura também trabalho publicitário como o logotipo do “eldorado”, loja conhecida na cidade de Coimbra, muito elogiado na época.
Juntamente com o consagrado artista José Oliveira, seu amigo e companheiro artístico, desenha e executa trabalhos decorativos em montras. Produz em 1967 a decoração do ginásio para o baile de finalistas do liceu onde estudava.
Anos 70:
– Inicia o serviço militar onde publica a capa do jornal do quartel em Tavira e desenha, a convite do comandante, o emblema do batalhão, o 2927. Já na guiné, em Bissorã, produz e constrói com os seus soldados uma escultura em chapa de bidão em base de cimento que lhe valeu um louvor e que ainda hoje perdura.
No regresso, em 1972, inicia a sua vida profissional na indústria farmacêutica interrompendo a atividade artística com exceção de caricaturas de familiares.
Ano 2007 e seguintes:
– É convidado pelo falecido proprietário do semanário “o despertar”, fausto correia, seu amigo de sempre, para colaborar com um desenho semanal. Nasce assim o “chico melenas”, protagonista dos cartunes desta exposição.
Reinicia também a sua atividade como caricaturista, optando atualmente por trabalhar em aguarela.
Participações e exposições:
Coletivas: S. Just Le Martel – frança e várias exposições itinerantes da F.E.C.O.
Festas da caricatura da lousã – organizações do jornal “O Trevim”
Individuais: “Desporto Universitário” – Jardins da A.A.C. ( 26 obras)
“Cartunes Séc. XXI” – Espaço Cultural da União de Freguesias de Souselas e Botão

AUTOR:

JOAQUIM BELISÁRIO DA CRUZ BORGES


Exposição de Pintura/Ilustração “Danças Internas” de Patrícia Roque __ 16/09/2017 a 30/09/2017

TÍTULO DA EXPOSIÇÃO | EXPOSIÇÃO DE PINTURA/ILUSTRAÇÃO “DANÇAS INTERNAS” DE PATRÍCIA ROQUE __ 16.09.2017 a 30.09.2017

DESCRIÇÃO

SOBRE A AUTORA:

Ilustradora e designer, fez a licenciatura em Design e Multimédia na Escola Superior de
Educação de Coimbra e finalizou o mestrado em Ilustração Artística no Instituto Superior de Educação e Ciências de Lisboa.
Passou também pela EINA, Escola de Desenho de Barcelona, onde se especializou em Publicações Infanto-Juvenis.
As suas pinturas/ilustrações entendem-se, talvez, na peculariedade das situações, das tensões, dos amores e desamores. Para a ilustradora, ilustrar é uma questão de alegria e “a alegria é a coisa mais séria da vida”

AUTORA:

PATRÍCIA ROQUE


Exposição de Arte Sacra __ 12/08/2017 a 05/09/2017

TÍTULO DA EXPOSIÇÃO | EXPOSIÇÃO ARTE SACRA
__ 12.08.2017 a 05.09.2017

DESCRIÇÃO

De 12 de Agosto a 05 de Setembro esteve patente no Espaço Cultural da União de Freguesias de Souselas e Botão uma Exposição de Arte Sacra.
Com participação de Peças da Igreja de Botão e de coleccionadores privados.

“A todos esses deu capacidade para realizar todo tipo de obra como artesãos, projetistas, bordadores de linho fino e de fios de tecido azul, roxo e vermelho, e como tecelões. Eram capazes de projetar e executar qualquer trabalho artesanal.” (Bíblia, Êxodo 35:35)


Exposição de Pintura de Elvira Abrantes __ 22/07/2017 a 12/08/2017

TÍTULO DA EXPOSIÇÃO | EXPOSIÇÃO DE PINTURA DE ELVIRA ABRANTES __ 22.07.2017 a 12.08.2017

DESCRIÇÃO

Sobre a Autora:
Elvira Maria Santos Abrantes, nasceu em Lisboa a 22 de Janeiro de 1952. Passando a maior parte da sua vida em Coimbra, aí se licenciou em Engenharia
Electrotécnica pela faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra em 1975.
Sempre se interessou pelo ato artístico praticando dança, teatro, fotografia.
Participou em vários concursos de fotografia com fotografias premiadas:
Escola Secundária de Pombal – 1º prémio; Câmara Municipal de Moura – 2º Prémio; Sindicato dos Professores da Região Centro – 2 Menções Honrosas.
Ilustrou o livro de poesia “Maçã de Eva” da Editora “Magno”
Um dia resolveu meter as mãos na tinta…
Conta com algumas exposições individuais e coletivas e está representada em colecções particulares.

AUTORA
ELVIRA ABRANTES


Exposição de Cerâmica de Teresa Castro __ 29/06/2017 a 20/07/2017

TÍTULO DA EXPOSIÇÃO | EXPOSIÇÃO DE CERÂMICA DE TERESA CASTRO __ 29.06.2017 a 20.07.2017

DESCRIÇÃO

Sobre a Autora:

Nasceu na Figueira da Foz em 1959 e atualmente reside em Coimbra.

Desde muito nova que se dedica às artes decorativas.

Em 2011 iniciou a aprendizagem da arte de trabalhar o barro.

Frequentou várias formações de cerâmica no CEARTE e no CENCAL.

Participa regularmente em exposições e feiras de artesanato.

As peças que expõem são o resultado de um sonho realizado.

Contacto: castro.mteresa@gmail.com

AUTORA
TERESA CASTRO


Exposição “As Cabaças” do Sr. Rosmaninho Curiense __ 20/05/2017 a 02/06/2017

TÍTULO DA EXPOSIÇÃO | “AS CABAÇAS” DE SR. ROSMANINHO CURIENSE __ 20.05.2017 A 03.06.2017

DESCRIÇÃO

O Rosmaninho Curiense, é assim que o Sr. Hilário gosta de ser conhecido quando mostra a sua arte.
Foi pedreiro e estucador, nos tempos em que ainda se faziam os tetos trabalhados em gesso, tendo sempre demonstrado uma grande habilidade com as mãos. Há uns anos, começou a cultivar as cabaças e à medida que elas cresciam, reparava nas suas formas estranhas e engraçadas. imaginou o que poderia criar a partir dessas formas e assim, deu vida a patos, pôs aviões a voar, barcos com seus barqueiros aos remos, enfim, criou uma arte digna de ser apreciada e uma demonstração de talento.

AUTOR
SR. ROSMANINHO CURIENSE | SR. HILÁRIO


Exposição de Pintura | “Miscelânea” __ 03/05/2017 a 17/05/2017

TÍTULO DA EXPOSIÇÃO | “MISCELÂNEA” __ 01.05.2017 A 23.06.2017

DESCRIÇÃO

Mais do que arte a pintura representa um estado de alma, uma entrega de emoções desde a concepção à finalização da obra, como um filho que vemos crescer e se torna adulto.

AUTORAS

Ana Madeira

Custódia Bom-bico

Fernanda Carvalho

Florinda Gomes

Helena Ventura

Luísa Nogueira

Apoio Artístico: Fernanda Matos Ribeiro