Eventos Culturais

O Espaço Cultural da União de Freguesias de Souselas e Botão é um “lugar” para congregar cultura. Um Espaço que desempenha uma função ativa, fomentando as expressões artísticas de e para a Comunidade.

Com um Programa que pretende ser diversificado o Espaço Cultural pretende oferecer Teatro, Música, Serviço Pedagógico, Exposições, Dança, etc. Tudo isto aliado a um forte estímulo para atividades de cariz tradicional.

2018

Noite com as Estrelas – “Madragoa (1952)” | 07/09/2018

[Noite Com as Estrelas] | Evento Gratuito

– Visualização de um Filme em todas as primeiras Sexta-Feiras de cada Mês –

Traga boa disposição que nós oferecemos o chá e o Filme.

Este mês de Setembro continuamos o Ciclo dos Filmes Antigos Portugueses, com o filme “Madragoa”.

Sobre o Filme:
Madragoa (1952)
108 min
Drama
Realização: · Perdigão Queiroga
Argumento: · Gualdim Pais
Na Madragoa, Zé Luís, um homem do povo apegado ao seu trabalho, gosta de Clara, filha do Santana das carnes, seu padrinho e protector, que pretende casá-la com D. Eusébio, com intenção de lhe financiar o negócio.
Quando Santana descobre o namoro, despede Zé Luís e força-o a romper, convencendo-o de que deve casamento a Margarida, uma jovem da mesma criação.
Zé Luís emprega-se no cais, Margarida morre de doença, Santana vai à falência…
Zé Luís apoiá-lo-á com iniciativa e dinheiro do pai, entretanto regressado de África, acabando por casar com Clara. “


Noite com as Estrelas – “Aldeia da Roupa Branca”| 06/07/2018

[Noite Com as Estrelas] | Evento Gratuito

– Visualização de um Filme em todas as primeiras Sexta-Feiras de cada Mês –
ATENÇÃO: no mês de AGOSTO não irá decorrer a Noite com as Estrelas. Regressamos em Setembro.

Traga boa disposição que nós oferecemos o chá e o Filme.

Este mês de Julho continuamos o Ciclo dos Filmes Antigos Portugueses, com o filme “Aldeia da Roupa Branca”.

Sobre o Filme:
Aldeia da Roupa Branca (1938)
82 min
Comédia
Realização: · Chianca de Garcia
Argumento: · José Gomes Ferreira · Chianca de Garcia
A vida, costumes pitorescos, quezílias e paixões dos populares que se encarregam da lavagem de roupa dos lisboetas – indústria artesanal mas competitiva… A concorrência entre transportadores: o Tio Jacinto e a azougada afilhada Gracinda, com a viúva Quitéria e o seu filho Luís.
[Fonte: José de Matos-Cruz, O Cais do Olhar, 1999, p.56]
“Uma comédia com um grande leque de canções populares. A história mostra a vida de lavadeiras nos arredores de Lisboa e que se ocupam de lavar a roupa doshabitantes da capital. O filme conta com a participação da grande actriz Beatriz Costa.”


Noite com as Estrelas – “Aniki Bóbó” (1942) | 01/06/2018

[Noite Com as Estrelas] | Evento Gratuito

– Visualização de um Filme em todas as primeiras Sexta-Feiras de cada Mês –

Traga a sua mantinha! Nós oferecemos o chá e o Filme.

Este mês de Maio continuamos o Ciclo dos Filmes Antigos Portugueses, com o filme “Aniki Bóbó”.

Sobre o Filme:
Aniki Bóbó (1942) é um filme português de Manoel de Oliveira, a sua primeira longa metragem de ficção, obra retocada com certos traços realistas. O argumento baseia-se no conto Os Meninos Milionários, da autoria de João Rodrigues de Freitas (1908 -1976), escritor e advogado.

O filme ilustra as aventuras e os amores de rapazes de baixa condição social da cidade do Porto. É uma invocação da infância pelo olho da câmara, que recua à década de quarenta, em plena Segunda Grande Guerra e no auge do regime fascista de Oliveira Salazar. Por outras palavras, Aniki Bóbó realça «a paixão de um tímido rapaz por uma rapariga da sua escola, paixão que o fará ultrapassar os limites ensinados pelo mundo adulto (ao roubar uma boneca e viver com a culpa do seu gesto)» (cit. Francisco Valente).
Nessa história está envolvido um triângulo amoroso cujo vértice é a Teresinha e, na sua base, o Carlitos e o Eduardo. O Carlitos é um rapaz alto e sereno, vizinho da Teresinha, que dela não tira os olhos e que, quando não a vê, a espera ou a procura com pezinhos de lã em trajectos bem pensados, incluindo os telhados. O seu melhor e mais solidário amigo é o Pistarim, um baixote irrequieto, mau aluno mas grande nadador, que pouco consegue fazer por ele quanto ao almejado namoro. Nisso, o grande rival do Carlitos, o tal Eduardo, é bastante mais atrevido no assédio à Teresinha junto de quem exibe, como argumento convincente, o músculo que tem. Não perde além disso uma oportunidade de provocar o amigo em brincadeiras que o humilham, tanto na rua como na escola que frequentam, onde se distrai a alvejá-lo com a sua primorosa fisga, com infalível pontaria.
As velhas ruas do bairro pobre em que habitam e a zona ribeirinha da cidade do Porto são o palco das suas aventuras. É aí que se sentem felizes. É aí que a liberdade que procuram se alcança. Esses inestimáveis bens são apenas cerceados pela rigidez autoritária do seu professor, na escola, e na rua pela atenta vigilância que o polícia que por ali anda sobre eles exerce. O mestre-escola e o polícia tornam-se desse modo figuras simbólicas da repressão em causa, gente que eles não conseguem deixar de provocar ou de quem simplesmente não conseguem fugir. É esta a questão central da história, o ponto nevrálgico que leva o regime político vigente na época a reagir e a tomar as devidas precauções perante a ousadia do jovem realizador que tanto se identifica com essa canalha e assim denuncia o estado social que retrata.
Insensatamente e contra normas que devem ser cumpridas («Segue sempre por bom caminho…»), a paixão do Carlitos leva-o a roubar na Loja das Tentações, onde tudo se compra, uma linda boneca de que ela muito gosta. O expediente resulta. Com a oferta da boneca, o Carlitos aquenta-lhe o coração, mas o medo de ser descoberto e o sentimento de culpa atormentam-no. Entre inúmeras peripécias e cómicas situações, o drama agrava-se, ao ponto de ser a bem-amada a denunciar involuntariamente o delito. O dono da loja, comerciante mesquinho mas sensível, por fim comove-se. O crime é perdoado e tudo acaba em bem.
Os conflitos de interesse das classes sociais que se confrontam no filme, embora atenuados por crianças que os relectem e os representam, são motivo suficiente para que muitos comentadores considerem Aniki Bóbó um filme precursor do neo-realismo italiano no cinema, tanto pelas ideias que veicula como pelos seus ingredientes formais, pela sua estética.


1º Aniversário do Espaço Cultural da UFSB | 05/05/2018

A Junta da União de Freguesias de Souselas e Botão, tem a honra de convidar V. Excia, para o 1º Aniversário do Espaço Cultural.

Realizar-se-á no dia 5 de Maio, pelas 18:00, no Espaço Cultural, em Souselas.

Esperamos poder contar com a Vossa estimada presença, para juntos podermos comemorar este grande marco, que é a celebração da Arte na nossa Freguesia.

O Presidente
Rui Soares

Um Espaço que é um Mundo de Possibilidades, e é seu.

O Espaço Cultural honra-se de já ter no seu jovem percurso muitos artistas que partilharam generosamente a sua Arte connosco, gostaríamos de agradecer a cada um deles e a toda a Comunidade que pode fruir dos Eventos/Exposições proporcionados neste vosso Espaço.

Artistas/Colaboradores:
Alcides Cepas
Américo Quadros
Ana Madeira
António Bastos
Belisário
Bitocas
César Henriques
Custódia Bom-bico
Delfina Henriques
Gonçalo de Sá
João Santos
Joaquim Rocha
Jorge Rocha
J&V music
Elisabete Oliveira “Coisas e Feltros”
Elsa Oliveira
Elvira Abrantes
Fernanda Carvalho
Fernanda Matos Ribeiro
Florinda Gomes
Gilberto Silva
Grupo Coral do Botão
Helena Madeira
Helena Ventura
Lina Forte
Luísa Nogueira
Maria do Céu Quadros
Ninita Azevedo
Os Katembas
Patrícia Roque
Paulo Bastos
Raízes de Coimbra
Rosmaninho Curiense
Teresa Castro
Tuna Souselense
Vina Macedo

Venha Celebrar connosco. 


Noite com as Estrelas – “Maria Papoila” (1937) | 04/05/2018

[Noite Com as Estrelas] | Evento Gratuito

– Visualização de um Filme em todas as primeiras Sexta-Feiras de cada Mês –

Traga a sua mantinha! Nós oferecemos o chá e o Filme.

Este mês de Maio continuamos o Ciclo dos Filmes Antigos Portugueses, com o filme “Maria Papoila”.

.:Sinopse:.
A história de uma rapariga do campo que encontra em Lisboa o verdadeiro amor
Maria Papoila uma rapariga da província, humilde e de bom coração, vem servir para Lisboa, onde conhece um recruta chamado Eduardo, por quem se apaixona.
Começam a namorar até Maria Papoila descobrir que Eduardo não só não pertence à sua condição social como também namora com uma rapariga da sua classe, Margarida Noronha Baptista.
Um dia de manhã, a mãe de Margarida nota que as suas jóias foram roubadas durante a noite, precisamente a noite em que Eduardo foi visto ao redor da casa,depois de acompanhar Margarida em segredo.
Eduardo é preso mas Margarida, para salvar a sua honra, nega o incidente.
Quando nada parece salvar Eduardo da prisão, Maria Papoila descobre o verdadeiro ladrão, Carlos, filho da sua patroa, e apresenta-se em Tribunal, dizendo, para o salvar, que passara a noite com o arguido.
Eduardo é libertado e Maria Papoila, magoada, decide voltar para a sua terra. Mas asim que sobe para o comoboio…uma supresa a aguarda…

.:Ficha Técnica:.

Título Original: MARIA PAPOILA
Intérpretes: Estevão Amarante, Mirita Casimiro, Henrique de Albuquerque, Joaquim de Oliveira, Emilia Oliveira, Eduardo Fernandes, Lino Ferreira, Barroso Lopes, Joaquim Pinheiro, Eugénio Salvador, Pereira Saraiva, António Silva, Virginia Soler
Realização: Leitão de Barros
Autoria: Jose Galhardo, Alberto Jardin, Vasco Santana
Música: Fernando de Carvalho, Frederico de Freitas
Ano: 1937
Duração: 98 minutos

Venha passar um agradável serão, neste Espaço que também é Seu.


Noite de Fados | 13/04/2018

No dia 13 de Abril (sexta-feira) pelas 21H30 ocorrerá uma Noite de Fados no Espaço Cultural da União de Freguesias de Souselas e Botão, a entrada terá um custo de 7,00€ (adultos) com direito a usufruir de boa Música e de boa comida (Caldo Verde e Petiscos variados).
[Crianças:
Até aos 7 anos – Não pagam
Dos 7 aos 14 anos – 3,00€]

Os fados estarão a cargo dos seguintes artistas:
Fadistas: Delfina Henriques e Alcides Cepa
Guitarra Portuguesa: Joaquim Rocha
Viola: Gilberto Silva

Reserve já o seu lugar através dos seguintes contactos:
Por email: uniãofsouselasbotao@gmail.com
Por telefone: 968 574 658
Ou presencialmente (no horário de funcionamento) na Junta de Freguesia da União de Freguesias de Souselas e Botão (em Botão) ou no Espaço Cultural da União de Freguesias de Souselas e Botão (em Souselas).

O Espaço Cultural da UFSB reserva-se o direito de não permitir a entrada devido a lotação de espaço, por questões de segurança e conforto.
Qualquer questão poderá utilizar os meios de contacto para esclarecer.

Será uma noite de convívio e muita alegria. Não perca esta oportunidade.

Organização da União de Freguesias de Souselas e Botão


Noite com as Estrelas – “O Pai Tirano” (1941) | 06/04/2018

[Noite Com as Estrelas] | Evento Gratuito

– Visualização de um Filme em todas as primeiras Sexta-Feiras de cada Mês –

Traga a sua mantinha! Nós oferecemos o chá e o Filme.

Este mês de Abril continuamos o Ciclo dos Filmes Antigos Portugueses, com o filme “O Pai Tirano”.
O Pai Tirano (1941) é um filme português de António Lopes Ribeiro.
O Pai Tirano é um dos maiores e mais representativos sucessos da época dourada[carece de fontes] do cinema português, tendo sido estreado a 19 de Setembro de 1941 no Cinema Eden, em Lisboa. A sua estreia em televisão efectuou-se na RTP, na rubrica de Fernando Garcia “7ª Arte”, na terça-feira, dia 15 de Agosto de 1961, às 22 horas e 5 minutos.

Este filme é considerado a maior obra-prima do cinema em Portugal. É considerado pelos especialistas, pelos fãs e pelos maiores cineastas internacionais como “O Melhor Filme Português de Sempre”, incluindo “o maior clássico do cinema português”, com o maior desempenho de Vasco Santana no cinema, depois de «A Canção de Lisboa» e antes de «O Pátio das Cantigas», a estreia de João Villaret no cinema e o início do sucesso de Ribeirinho.

Venha passar um agradável serão, neste Espaço que também é Seu.


Atividade do Dia da Árvore | 21/03/2018

No dia 21.03.2018 a União de Freguesias de Souselas e Botão proporcionou duas atividades às EB’s e Jardins de Infância da UFSB, inseridas no âmbito do Dia da Árvore:
– Visita guiada à Exposição de Fotografia “Macrocosmos” de João Santos – EC UFSB pelo Fotógrafo e autor da Exposição João Santos.
– Atividade realizada pela EcoXperience, enquadrada no Plano de Educação Ambiental para os alunos desta região, baseada na reciclagem de óleos alimentares, transformando-os em produtos de limpeza.

Com direito a lanche oferecido pela União de Freguesias de Souselas e Botão, as crianças viveram momentos educativos, artísticos e muito divertidos.


Noite com as Estrelas – “A Menina da Rádio” (1944) | 16/03/2018

[Noite Com as Estrelas] | Evento Gratuito

– Visualização de um Filme em todas as primeiras Sexta-Feiras de cada Mês –

Traga a sua mantinha! Nós oferecemos o chá e o Filme.

Este mês de Fevereiro continuamos o Ciclo dos Filmes Antigos Portugueses, com o filme “A Menina da Rádio”.

A Menina da Rádio é um filme português de 1944 produzido pela Companhia Portuguesa de Filmes, cuja realização é de Arthur Duarte. Filme com conceituados e famosos atores e atrizes, como Maria Eugénia, Óscar de Lemos, Fernando Ribeiro, Teresa Casal, Maria Gabriela, Maria Olguim, Ribeirinho e António Silva e Maria Matos, que também neste filme contracenam como par amoroso. O desempenho de António Silva neste filme, valeu-lhe o prémio do Secretariado Nacional de Informação (SNI) para o ano de 1944. Neste filme desempenha o papel de Cipriano Lopes, que é o orgulhoso proprietário da Pastelaria Bijou. É um apaixonado pelo progresso e sonha em criar uma rádio para o seu bairro, tendo como vedeta a sua filha Maria Eugénia e como compositor o seu futuro genro Óscar.

Venha passar um agradável serão, neste Espaço que também é Seu.


Noite com as Estrelas – “João Ratão” (1940) | 02/02/2018

[Noite Com as Estrelas] | Evento Gratuito

– Visualização de um Filme em todas as primeiras Sexta-Feiras de cada Mês –

Traga a sua mantinha! Nós oferecemos o chá e o Filme.

Este mês de Fevereiro continuamos o Ciclo dos Filmes Antigos Portugueses, com o filme “João Ratão” (1940). Um filme em que os costumes populares são entrosados por conflitos românticos no cenário da I Guerra Mundial.

A comédia musical no cenário da participação portuguesa na I Grande Guerra, única em representação ficcional. Para tal, foram construídos – nos estúdios da Tobis Portuguesa – um abrigo subterrâneo, uma trincheira e as linhas alemãs, por soldados do exército sob orientação de oficiais.

Venha passar um agradável serão, neste Espaço que também é Seu. 


Noite com as Estrelas | “A Canção de Lisboa” (1933) | 05/01/2018

Este mês de Janeiro, iniciamos o novo ano continuando o Ciclo dos Filmes Antigos Portugueses com o filme “A Canção de Lisboa” (1933), foi um filme que, na época, obteve grande sucesso e êxito do público, não apenas em Portugal, mas também nos então territórios de Ultramar e Brasil. Esse êxito deveu-se em parte ao carácter tipicamente português das personagens e das situações que permitia a total identificação dos espectadores com o filme. E em parte à introdução de canções que rapidamente se tornaram populares, não só neste filme, mas em todos os outros do género. Por isso, estas comédias são clássicas do cinema português, onde nunca se deixaram de ver e rever até aos dias de hoje. A Canção de Lisboa não é apenas pioneiro deste género cinematográfico como também um dos melhores.

Venha aproveitar um agradável serão neste Espaço que é Seu.

05.01.2018 – A Canção de Lisboa (1933)

Sobre o Filme:

A Canção de Lisboa, 1933, realizado por José Cottinelli Telmo, que inaugura o seu principal género cinematográfico: A Comédia Portuguesa.

As suas vedetas mais famosas são: Beatriz Costa, Vasco Santana e António Silva, todos eles protagonistas de A Canção de Lisboa. Sendo o restante elenco constituído pelos atores: Alfredo Silva, Ana Maria, Artur Rodrigues, Coralia Escobar, Eduardo Fernandes, Elvira Coutinho, Fernanda Campos, Francisco Costa, Henrique Alves, Ivone Fernandes, José Victor, Júlia da Assunção, Manoel de Oliveira, Manuel Santos Carvalho, Maria Albertina, Maria da Luz, Silvestre Alegrim, Sofia Santos, Teresa Gomes e Zizi Cosme.
Foi um filme que, na época, obteve grande sucesso e êxito do público, não apenas em Portugal, mas também nos então territórios de Ultramar e Brasil. Esse êxito deveu-se em parte ao carácter tipicamente português das personagens e das situações que permitia a total identificação dos espectadores com o filme. E em parte à introdução de canções que rapidamente se tornaram populares, não só neste filme, mas em todos os outros do género. Por isso, estas comédias são clássicas do cinema português, onde nunca se deixaram de ver e rever até aos dias de hoje. A Canção de Lisboa não é apenas pioneiro deste género cinematográfico como também um dos melhores. Por ter sido considerado um objeto de prestígio, o valor dos bilhetes foi mais dispendioso do que o habitual. O sucesso alcançado foi de tal forma retumbante, que as receitas do filme permitiram, inclusive, pagar uma grande parte das instalações da Tóbis que se encontravam então em construção.
Para além dos atores, outros grandes nomes da arte portuguesa marcaram a produção deste filme, por exemplo, os cartazes: nada menos que três foram concebidos por Almada Negreiros. Outra participação enaltecedora deste magnífico filme foi a de Manoel de Oliveira então no começo da sua carreira cinematográfica como realizador, aparece neste filme como ator, interpretando Carlos, o melhor amigo do ator principal Vasco Santana.
A Canção de Lisboa, pilar do cinema português, ironicamente não foi realizado por um cineasta, mas sim por um conhecido arquiteto José Cottinelli Telmo, tendo aliás sido o único filme por ele realizado. O uso do espaço em Lisboa, tanto em cenários de estúdio como em cenários naturais, é característico da sabedoria de um arquiteto. A cena exterior em que Vasco Santana canta o famoso «Fado do Estudante», por exemplo, foi filmada na esplanada do último piso da Cervejaria Portugália na Avenida Almirante Reis, um edifício do começo do século XX. Por todos estes motivos A Canção de Lisboa é um clássico e ao mesmo tempo um filme único que ficará para sempre como marco e testemunho da evolução cinematográfica portuguesa.

2017

Mercado Feliz | 16/12/2017 a 06/01/2018


MERCADO FELIZ

Mercado com a presença de Artesãos e/ou Comerciantes que submeteram a sua inscrição para estarem presentes com os seus artigos no Espaço Cultural – União de Freguesias de Souselas e Botão onde TODA A POPULAÇÃO poderia vir ver e adquirir os seus presentes de Natal feitos com carinho num Mercado SEU e muito Feliz.

[É um “Lugar” Feliz, de partilha de Arte e Saber. Venha usufruir e/ou participar.]


Noite Com as Estrelas | Filme: “O Leão da Estrela” (1947) | 01.12.2017

[Noite Com as Estrelas]

– Vizualização de um Filme na primeira Sexta-Feira de todos os Meses –

Traga a sua mantinha que à sua espera haverá chá e Filme.

Este mês de Dezembro continuamos o Ciclo dos Filmes Antigos Portugueses com o “O Leão da Estrela”, Uma das mais famosas comédias populares da época de ouro do cinema português, que marcou o regresso do realizador Arthur Duarte aos estúdios Tobis, após alguns anos a trabalhar em Espanha. O filme, baseado numa peça de teatro dos anos 20, mas adaptada à realidade dos anos 40, revela toda a mestria do realizador, que, através da comédia, aborda temas que, no seu conjunto, fazem um interessante retracto do país.

01.12.2017 – O Leão da Estrela

Sobre o Filme:
Uma das mais famosas comédias populares da época de ouro do cinema português, O Leão da Estrela marcou o regresso do realizador Arthur Duarte aos estúdios Tobis, após alguns anos a trabalhar em Espanha. O filme, baseado numa peça de teatro dos anos 20, mas adaptada à realidade dos anos 40, revela toda a mestria do realizador, que, através da comédia, aborda temas que, no seu conjunto, fazem um interessante retracto do país.

Com um orçamento de 1.800 contos (perto de 9.000 €, não ajustados à inflação), O Leão da Estrela tem nas interpretações uma das suas mais-valias, com destaque para Milú, Laura Alves, Artur Agostinho, mas principalmente António Silva. O actor é o grande motor do filme, aproveitando o facto de, pela primeira vez, protagonizar um filme sozinho (anteriormente, António Silva teve sempre a seu lado outros grandes nomes do cinema português, como Vasco Santana, Maria Matos, Beatriz Costa, entre outros).

Sonoro Filme. Portugal, 1947, 123 min., comédia

Realizador: Arthur Duarte. Argumento: Ernesto Rodrigues, João Bastos e Félix Bermudes, baseado na peça teatral homónima. Actores: António Silva, Milú, Maria Eugénia, Erico Braga, Laura Alves. Estreia em Portugal: 21 de Novembro 1947 (São Luiz)

Anastácio, fervoroso sportinguista, viaja até ao Porto para assistir ao duelo entre os dois clubes e, com a sua família, fica alojado na casa do casal Barata, passando por rico. Quando o casal Barata retribuiu a visita e viaja até Lisboa, as mentiras de Anastácio são colocadas à prova.

Um agradável serão neste Espaço que é Seu.


Noite Com as Estrelas | Filme: “Pátio das Cantigas” | 03.11.2017

[Noite Com as Estrelas]

– Vizualização de um Filme na primeira Sexta-Feira de todos os Meses –

Traga a sua mantinha que à sua espera haverá chá e Filme.

Neste primeiro mês iniciámos o Ciclo dos Filmes Antigos Portugueses com o “Pátio das Cantigas”, mítica Comédia Portuguesa de 1942 do Realizador Francisco Ribeiro, que conta com os inesquecíveis Vasco Santana, António Silva e Ribeirinho.

Um agradável serão neste Espaço que é Seu.

03.11.2017 | 21H00 | Espaço Cultural da UFSB – Filme: “Pátio das Cantigas”


Atividade com Crianças | CSCR de Botão e EB de Larçã | 20.09.2017

Atividade Pedagógica desenvolvida com o CSCR de Botão ( Centro De Botão Botão) e Escola Básica de Larçã no Espaço Cultural – União de Freguesias de Souselas e Botão, no âmbito da Exposição Pintura/Ilustração “Danças Internas” de Patrícia Roque.
(Patente no Espaço Cultural da UFSB de 16 a 30 de Setembro de 2017).

Leitura do Livro “Picó seis dedos” de António Vilhena com Ilustração de Patrícia Roque pela própria Ilustradora.
Criação por parte das crianças do seu próprio Picó.

Organização: Junta da União de Freguesias de Souselas e Botão | Espaço Cultural – União de Freguesias de Souselas e Botão

Sobre a Autora:
Patrícia Roque Ilustradora e designer, fez a licenciatura em Design e Multimédia na Escola Superior de Educação de Coimbra e finalizou o mestrado em Ilustração Artística no Instituto Superior de Educação e Ciências de Lisboa. Passou também pela EINA, Escola de Desenho de Barcelona, onde se especializou em Publicações Infanto-Juvenis. As suas pinturas/ilustrações entendem-se, talvez, na peculariedade das situações, das tensões, dos amores e desamores. Para a ilustradora, ilustrar é uma questão de alegria e “a alegria é a coisa mais séria da vida”.


Atividade com Crianças do CASS | 19.09.2017

Atividade Pedagógica desenvolvida com o Centro de Apoio Social de Souselas no Espaço Cultural da União de Freguesias de Souselas e Botão, no âmbito da Exposição de Pintura/Ilustração “Danças Internas” de Patrícia Roque. (Patente no Espaço Cultural da UFSB de 16 a 30 de Setembro de 2017).

Leitura do Livro “Picó seis dedos” de António Vilhena com Ilustração de Patrícia Roque pela própria Ilustradora.
Criação por parte das crianças do seu próprio Picó.

Organização:
Junta da União de Freguesias de Souselas e Botão | Espaço Cultural – União de Freguesias de Souselas e Botão

Sobre a Autora:
Patrícia Roque
Ilustradora e designer, fez a licenciatura em Design e Multimédia na Escola Superior de
Educação de Coimbra e finalizou o mestrado em Ilustração Artística no Instituto Superior de Educação e Ciências de Lisboa.
Passou também pela EINA, Escola de Desenho de Barcelona, onde se especializou em Publicações Infanto-Juvenis.
As suas pinturas/ilustrações entendem-se, talvez, na peculariedade das situações, das tensões, dos amores e desamores. Para a ilustradora, ilustrar é uma questão de alegria e “a alegria é a coisa mais séria da vida”. 


Matiné Sénior | Música ao Vivo (J&V music) | 28.07.2017

Na tarde de dia 28 de Julho (Sexta-feira) decorreu uma Matiné Sénior com música ao vivo pelo Grupo Musical J&V music.

Organização da Obra Social de Torre de Vilela com Apoio/Parceria de várias Instituições e da Junta da União de Freguesias de Souselas e Botão.

Participação da OSTV, Souselas, Botão e Pedrulha.


Inauguração do Espaço Cultural da UFSB | 01.05.2017

União de Freguesias de Souselas e Botão teve o prazer de receber a Comunidade de Souselas e Botão e a todos em geral para a inauguração do seu novo Espaço Cultural no dia 01.05.2017 pelas 16H00.

Contou com a presença de vários artistas das Freguesias de Souselas e Botão:
Antonio Bastos
Grupo Coral do Botão
Os Katembas
Paulo Bastos
Raízes de Coimbra
Tuna Souselense

|| Um novo Espaço da Comunidade e para a Comunidade. ||

É um lugar de convívio e de partilha para todos e de todos.

Um Lugar de Possibilidades e de Realidades.